O indivíduo na “Era das Redes Sociais” passou a ser bombardeado diariamente com informações que não são previamente checadas, mas também que por escolha moral não padecem de checagem dada a finalidade de atingir negativamente outras tribos morais, ou seja, grupos considerados politicamente adversários.

Quanto mais moralizante o conteúdo da fake news, mais propício que seja disseminada a fake news de acordo com estereótipos morais. A racionalização moral (e não o raciocínio moral) é afetado pelo conteúdo de fake news e influenciam na defesa contra posições contrárias reforçando um comportamento de menor resistência moral na divulgação de conteúdo identificado como falso. Quanto maior o grau de defesa contra posições contrárias, maior a tendência de compartilhar fake news contra supostos adversários (cientistas em geral ou jornalistas, por exemplo).

A reflexão continua no vídeo.